Para ela a vida é assim, diz pai de síria de 5 anos que só conhece a guerra
NOTÍCIAS
Aos cinco anos de idade, a síria Mira Almidani não sabe o que é viver em um país sem guerra. Ela nem fala do assunto com os pais. "Ela cresceu aprendendo que a vida é assim", diz seu pai, Ahmad, um comerciante de 47 anos.
Considerado o principal conflito da atualidade, a guerra da Síria completa nesta terça-feira (14) cinco anos -- mesma idade de Mira.
A garota, que se mostrou sorridente e simpática na conversa do G1 pelo Skype com sua família, teve mais sorte do que outras crianças que moram em cidades como Aleppo, Raqqa e Palmira, onde os moradores convivem diariamente com bombas, tiros e o controle de jihadistas do Estado Islâmico.
Mira vive em Damasco, capital do país, que ainda está sob o domínio do governo e mantém alguma normalidade no meio do caos que se apodera de outras regiões sírias. E é isso que os pais dela tentam fazer: manter a rotina o mais normal possível.
 
Sem poder conhecer o mar
Ahmad, que é comerciante e vende roupas e bijuterias, afirma que conseguiu manter o orçamento da família, mesmo com a economia fraca da qual outros moradores se queixam. Sua mulher, Rahaf, de 37 anos, não trabalha e cuida da casa e das filhas -- além de Mira, eles têm uma menina de 10 anos, Muzna.
O casal sai para passear com as meninas, mas não consegue ir muito longe. Eles só visitam parentes que moram dentro de Damasco, já que nos arredores há muitas zonas de conflito. "O que mudou na nossa rotina foi a restrição de movimentos. Não podemos mais fazer passeios para fora porque não é seguro sair", diz Ahmad, que se pudesse, levaria Mira para conhecer o mar.
A maioria da família de Ahmad continua na Síria: apenas um primo migrou para o Brasil com a mulher e a filha pequena. O comerciante diz que ninguém esperava que o conflito fosse se estender por tanto tempo. Mesmo assim, não pensa em sair do país. "Essa é a minha terra. Nós somos felizes", diz.
Ele espera que as filhas possam viver em breve em um ambiente de paz. "Somos obrigados a lidar com essa realidade [da guerra], então o jeito é ter paciência. Como qualquer pai, espero que elas tenham um futuro maravilhoso."
Alheia à conversa sobre o assunto grave, Mira termina a entrevista cantando uma cantiga local e mandando um recado em árabe para os brasileiros: "Ana behebkon ktir" (eu amo muito vocês).
As crianças e a guerra
Há cinco anos o presidente Bashar al-Assar enfrenta uma rebelião armada que tenta derrubá-lo do poder.
O dia 15 de março de 2011 é considerado o ponto inicial do conflito por ter sido a data do primeiro grande protesto reivindicando mais democracia e liberdades individuais, após adolescentes que pichavam muros na cidade de Daraa terem sido presos e torturados, o que gerou revolta popular.
A revolta popular contra o regime ganhou um caráter militar ante a repressão do governo e se transformou em uma guerra civil complexa, na qual se enfrentam tropas leais ao regime, vários grupos rebeldes diferentes, organizações jihadistas, forças curdas e atores externos como Rússia, Estados Unidos, França e Turquia.
O conflito afetou mais de 80% das crianças sírias (cerca de 8,5 milhões no total), seja dentro do país ou como refugiadas, apontam dados da Unicef divulgados na segunda-feira (14).
Ainda de acordo com esse estudo, chamado "No place for children" (Não é lugar para crianças), uma em cada três crianças do país nasceu em uma área de guerra desde que o conflito começou.
Segundo a agência das Nações Unidas, 306 mil crianças nasceram como refugiadas desde 2011, muitas delas em países vizinhos à Síria (Turquia, Líbano, Jordânia e Iraque), onde o número de refugiados é dez vezes maior agora do que em 2012.
O número total de sírios que buscaram refúgio em países vizinhos desde o início do conflito  já superou os 4,8 milhões, enquanto os que fugiram para a Europa chegam a quase 900 mil, segundo os dados mais recentes do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur).
Fonte: G1

 

Leia +
Comerciante assassinado com um tiro na nuca ao lado da mulher em Anchieta
Agente penitenciário se irrita com churrasco e atira em rua do ES
Morador colhe batata doce de quase 13kg em Jacaraípe, ES
Entenda o cálculo da nova aposentadoria
Feirão online para limpar o nome tem 10 negociações por segundo
Zelador é preso suspeito de estuprar duas crianças em Cariacica, ES
INSS deve pagar 4 mil aposentados do ES após erro, diz MPF
 
 
 
 
© Copyright 2015 - Todos os direitos reservados - Rádio Piúma FM