Quatro mortes e 20 cidades debaixo d água no Estado
NOTÍCIAS

 

Uma pessoa morreu na tarde desta quinta-feira (15) após ser soterrada na zona rural de Muniz Freire, região do Caparaó. Outras três também perderam suas vidas em um soterramento na cidade mineira de Mutum, na divisa com Brejetuba. Todas vítimas da forte chuva que atingiu o Estado desde a última quarta-feira e que promoveu estragos, principalmente, nas regiões Serrana e Sul.

 

Foram registrados alagamentos, desabamentos e deslizamentos de terra, rolamentos de pedras, além rajadas de vento e trovoadas. Ontem, a situação mais grave ocorreu nos municípios de Iconha e Alegre, onde o nível dos rios subiu muito, alagando vários bairros.
Em Brejetuba, foram socorridas sete pessoas de uma mesma família. Eram moradores da cidade mineira de Mutum, na divisa entre os dois estados. A casa em que viviam foi atingida por um deslizamento de barreira que os soterrou. Três deles morreram, incluindo uma criança de 4 anos.
Em Castelo, o Rio Castelo subiu mais de seis metros, inundando casas e comércio e deixando a cidade em estado de alerta. No bairro garagem, 240 pessoas ficaram isoladas. Em outras cidades, pontes e estradas de acesso ao interior foram interditadas, deixando bairros ilhados. Em Piúma, foi preciso abrir um desvio para reduzir o volume de água do rio.
Lavrador e criança entre vítimas
Na Região Serrana, foram registradas quatro mortes. Três delas, incluindo a de uma criança, ocorreram em uma comunidade mineira, na divisa com a cidade de Brejetuba. A outra foi na zona rural de Muniz Freire, onde um lavrador de 58 anos perdeu a vida soterrado na localidade de Mata do Barão. José Antônio Pires da Silva chegou a ser socorrido, mas não resistiu.
Após a queda da barreira, a ES 181 ficou totalmente interditada. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 14h40, José estava em sua propriedade fazendo serviços em um curral, quando foi surpreendido pela queda da barreira. De acordo com a Defesa Civil, até o final do dia de ontem a pista ainda não tinha sido liberada. O coordenador Jaimerson Marques da Silva relatou que dez famílias ficaram desabrigadas no bairro São Vicente devido à área de risco de deslizamentos. “Duas casas desmoronaram, mas ninguém se feriu”, disse.
Sete pessoas ficaram soterradas após a casa delas ser atingida por uma barreira em Imbiruçu, na divisa do Espírito Santo com Minas. A comunidade pertence ao município de Mutum. De acordo com a Defesa Civil de Brejetuba, a queda ocorreu por volta das 7h. Belarino Garcia de Oliveira, 50 anos, e seu filho Romário, 25, além de Micael Cristóvão Silva, 4 anos, foram retirados dos escombros, mas morreram antes de chegar ao PA. Outras quatro pessoas continuam internadas. reprodução/internet Barreira soterrou lavrador e interditou pista em Muniz Freire
Rodovias
Segundo a Eco 101, concessionária que administra a BR 101, a rodovia registrou nove pontos de interdição devido a alagamentos, quedas de barreira e árvores. O trecho que mais deu trabalho para ser liberado foi o Km 384, em Rio Novo do Sul, o que ocorreu por volta das 19h de ontem. Segundo a concessionária, o trecho mais atingido foi entre o Km 377, em Iconha, e o Km 395, em Rio Novo do Sul.
Em Iconha, ocorreram quatro interdições. Em dois trechos, nos Kms 377 e 380, foram registrados alagamentos devido ao alto nível de água do Rio Iconha. Na altura dos Kms 378 e 381, houve queda de barreira e o trânsito ficou totalmente interditado.
Estragos da Chuva
Água atinge os telhados das casas e deixa muitos moradores ilhados
Com um olhar perdido e de tristeza, Odete Fambre, 58 anos, avaliava, da parte mais alta do Centro de Iconha, o que restou de sua casa, que ficou totalmente submersa pela água, assim como as de seus vizinhos. O temporal derrubou barreiras e encheu rapidamente as regiões mais baixas da cidade. Sem tempo para se prevenir, dezenas de moradores perderam quase todos os seus bens e muitos estão desabrigados.
Chuva provoca estragos no Sul do ES - Crédito: Internauta
×
 
1 / 5
 
 
 
 
 
As ruas Virgílio Silva e Quintino Gomes Figueira, próximas ao rio que passa pelo Centro, foram as mais atingidas pela água, que, em algumas residências, alcançou quase 2m. A situação mais grave era a do bairro Ilha do Coco, em que moradores ainda estavam ilhados até a noite desta quinta.
De acordo com o chefe de gabinete da Prefeitura, Vinícius Paula, durante todo o dia, o abastecimento de água foi interrompido e alimentos estavam sendo distribuídos no salão paroquial da igreja. “Os danos ainda não foram calculados. O momento é de socorrer as pessoas. Mas amanhã (hoje) o prefeito deve decretar estado de emergência.”
A auxiliar administrativa Ligia Dalmolin, 34, não conseguiu sequer entrar em sua residência. Ela, o marido e a filha de 1 ano passaram a noite na casa de parentes. “Só consegui salvar roupas, meu sofá e a geladeira. Não estou sentindo meus pés no chão. É pavoroso ver a água entrar e não poder fazer nada.”
Zedir Bayerl, 75, precisou ser retirada pelos Bombeiros, em um barco. Ela esperou pelo auxílio na casa do filho, no andar de cima, e que tudo o que estava em sua residência foi perdido. “A gente não esperava isso.”
Famílias fora de casa e aulas suspensas
Cinco famílias estão desalojadas em Cachoeiro de Itapemirim no Sul do Estado. O nível do Rio Itapemirim, que corta a cidade, está três metros acima do normal após as chuvas desta quinta.
Pela cidade vários pontos ficaram alagados. Em duas escolas as aulas precisaram ser suspensas.
Nível do Rio Itapemirim em Cachoeiro - Crédito: Reprodução Redes Sociais - Gerson Ferreira
×
 
1 / 4
 
 
 
 
 
No bairro Coronel Borges, o córrego tomou conta das ruas. A água invadiu várias casas e o campo ficou completamente alagado.
As garagens de prédios do Centro ficaram cheias de água. Na Avenida Beira-Rio, embaixo da Ponte de Ferro, os carros passavam atravessando a água. No entanto, por volta das 16 horas, o trânsito foi fechado e um caminhão tentava drenar a água.
A vazão do Rio Itapemirim está quase dez vezes maior que o normal.
“A vazão do rio normalmente é de 70 mm/segundo e já estamos em 600 mm/segundo. Estamos trabalhando desde três horas da manhã com todas as nossas equipes, equipamentos, caminhões, máquinas e pessoal já cuidando do primeiro impacto da chuva de longa duração, que são esses deslizamentos que estão ocorrendo nas partes mais altas da cidade”, explicou o prefeito Carlos Casteglione.
Castelo: 240 pessoas ilhadas
As fortes chuvas que castigaram principalmente as regiões Sul e Serrana do Estado também deixaram estragos em Castelo. De acordo com a Defesa Civil do município, somente no bairro Garagem 240 pessoas ficaram isoladas. Cerca de 120 pessoas ficaram desalojadas e 50 desabrigadas na cidade.
Rio Castelo sobe mais de 6 metros e deixa 240 pessoas isoladas e 170 pessoas desalojadas/ desabrigados - Crédito: Foto Leitor - Redes Sociais
×
 
1 / 4
 
 
 
 
 
O nível do Rio Castelo, que passa pela cidade , subiu mais de seis metros entre quarta-feira e o dia de ontem. A água inundou as ruas da cidade, invadiu casas e comércios. Em três horas, a água subiu um metro e meio. O município está em estado de emergência desde a madrugada de ontem. Em 24 horas choveu 148 mm, volume esperado para 15 dias. No centro da cidade, a água quase cobriu a rodoviária e no local só dá para passar de barco. Em alguns pontos, o alagamento chegou a mais de um metro.
Alegre
Em Alegre, no Sul do Estado, um temporal atingiu a cidade na noite de quarta-feira. De acordo com Emerson Curty, coordenador da Defesa Civil Municipal, o rio subiu mais de um metro e meio. Cerca de 600 pessoas foram obrigadas a sair de suas casas por causa de alagamentos.
O bairro mais afetado foi Vila do Sul, que fica próximo ao Centro de Alegre. Moradores relataram que a água do rio chegou a passar por cima da ponte.

Fonte: A Gazeta

 

Leia +
Comerciante assassinado com um tiro na nuca ao lado da mulher em Anchieta
Agente penitenciário se irrita com churrasco e atira em rua do ES
Morador colhe batata doce de quase 13kg em Jacaraípe, ES
Entenda o cálculo da nova aposentadoria
Feirão online para limpar o nome tem 10 negociações por segundo
Zelador é preso suspeito de estuprar duas crianças em Cariacica, ES
INSS deve pagar 4 mil aposentados do ES após erro, diz MPF
 
 
 
 
© Copyright 2015 - Todos os direitos reservados - Rádio Piúma FM